Subscrever

RSS Feed (xml)

Powered By

Powered by Blogger

segunda-feira, 3 de agosto de 2009

Protótipo 3.1 Fashion "Tribal-Chic"

Depois de um relativo "fracasso"* do calcanhar negativo, resolvemos reduzir o balancim no calcanhar e nos concentrarmos no ante pé, fazendo apenas o balancim frontal.
video

*O calcanhar negativo tem esse problema, ou se adora ou se detesta, neste caso a nossa "cobaia" detestou, o que nos fez recuar (pelo menos temporariamente).

Com o 3.1 tinhamos um objectivo; criar o primeiro protótipo 100% funcional, assim decidimos que faríamos um protótipo "chique", forrado em couro e tecido.

Deste modo acabamos por dividir o projecto em dois produtos parecidos mas diferentes:

Fashion O 3.1 tem como objectivo aliar as qualidades já descritas das huarache mais o balancim, num "pack" agradável à vista.

Funtion, o protótipo seguinte será pensado para correr ou caminhar sem ter em conta o aspecto visual.


Com o novo formato em mãos pusemos as mãos na "massa" e depois da modelagem e fabrico das palmilhas (à medida), foi a vez das solas, como estamos às espera de EVA de alta densidade, fomos obrigados a fazer as solas com EVA mais macia, e para compensar a falta de apoio o César decidiu aumentar a rigidez da sola, mais uma vez com uma "alma" (ou enfuste, que é apenas uma peça metálica que se coloca na sola para reforço), depois da adaptação realizada e as arestas limadas, começamos o trabalho de decidir os acabamentos.


Couro é sempre uma escolha óbvia, dada a sua natural elasticidade, durabilidade e aspecto, o tecido pode ser também uma boa escolha quando se pretende dar um ar "nobre".

Depois de algumas tentativas lá acertamos com a colagem e acabamento da sola, o tecido, dá um ar "chic", mas é muito difícil de colar sem vincos.

Colada a superfície de contacto com o solo (borracha) estava na altura de colocar as tiras, alguma luta depois e presto; o primeiro protótipo com aspecto de produto final.

Depois dos primeios testes diremos alguma coisa.

sábado, 25 de julho de 2009

3.0 ou a arte de caminhar descalço na areia


Apesar de só hoje estar a escrever estas palavras, o protótipo 3.0 ficou pronto na 6ª feira (decidimos chamar-lhe 3.0 porque apresenta modificações substanciais em relação ao anterior).

A Susana deitou mãos à obra e modelou uma base completamente nova (mais larga no ante pé e estreita no calcanhar), esta base respeita mais o design das huarache indígenas originais, ao mesmo tempo que lhe introduziu um balancim mais "extremo".

Com a experiência do 2.0 descobrimos que o balancim não estava a funcionar como devia (uma das "cobaias" disse não sentir nada), o que nos levou a experimentar "lixar" a sola para ver se funcionava, e decidimos como dizem os anglófonos "go extreme".

O resultado final está óptimo, ainda não terminamos a palmilha (à medida, obviamente), mas reutilizamos a do protótipo anterior para fins experimentais.

O 3.0 até está com um calcanhar negativo, o que resulta num caminhar parecido a caminhar descalço em areia; (o calcanhar "afunda" e depois afundam os dedos), criando o trabalho do sistema músculo-esquelético que procurávamos.

Mas também descobrimos que a espuma EVA, por mais firme que seja, abate sempre sob o peso do utilizador, com esse problema em mente decidimos que a solução final vai passar por acrescentar um "enfuste" ou como também é designado; uma "alma", uma peça rígida acrescentada ao calçado para lhe dar maior rigidez torsional e evitar flexão inadequada.


sexta-feira, 24 de julho de 2009

Mas Afinal o que é isso de Balancim?

Balancim, balancim,


A palavra do momento aqui na oficina é "balancim"

"Rockersole" em Inglês, ou "Balancim" em português é um conceito de sola com o formato convexo

Este formato de sola pouco conhecido até há pouco tempo, oferece uma série de vantagens singulares quando aplicado correctamente no fabrico de calçado:

Redução das pressões plantares.

Facilidade de deslocação no plano frontal (para a frente), os sapatos parecem estar a "empurrar" quem os calça para a frente.

Aumento da actividade muscular e consequente gasto de calorias.

Para este projecto, pretendemos aproveitar todas as qualidades do balancim, aliadas à simplicidade das sandálias Huarache, sem descurar a design, que será extremamente cuidado.

Protótipo 2.0, ou a Arte de Furar Espuma





Mais um dia mais um protótipo.

Começamos por maquinar a sola numa amostra de espuma, que por casualidade é cor "camuflado".



A ideia é criar uma sola com balancim , que além de diminuir a pressão nas articulações e melhorar a postura, aumenta o esforço musculó-esquelético, levando a um aumento das calorias queimadas, mas o Paulo vai colocar um post onde explica o que é isso de balancim.

Ao mesmo tempo utilizando os pés previamente scaneados em 3D da Susana, criamos a palmilha base para as sandálias, um pouco de cola uma tira em couro e um tubo em plástico para não ferir entre os dedos e "voilá":


Trata-se do primeiro protótipo realmente funcional, não é muito agradável à vista mas já estamos a trabalhar nos acabamentos.

Apesar de estar no bom caminho, ainda não estamos satisfeitos com alguns detalhes, nomeadamente o formato da sola, pelo que enquanto escrevemos estas palavras, estamos a cozinhar o protótipo 2.1, ou será 3.0?



Protótipo 0.1, Apenas 2 minutos



Com vista a criar um protótipo funcional, decidimos experimentar fazer uma sandália tal como os indígenas as fazem, mas com materiais que tínhamos à mão na oficina,

Materiais:

Espuma EVA 3 mm para a sola

Tesoura

Caneta

Atacador de sapatos desportivos.

Depois de marcar e cortar a espuma, colocamos os atacadores e "presto", um protótipo funcional:

Claro que não é verdadeiramente uma sandália para utilizar na rua, foi apenas uma forma de criar o primeiro protótipo para pudermos estudar.


Esperem pelos próximos protótipos.....

quarta-feira, 22 de julho de 2009

Projecto

Todas as histórias são feitas de pequenas histórias.

A primeira história é que um dia o Paulo fez para si umas sandálias Huarache (ele diz que jazem algures, perdidas, num sótão de Vila Nova de Gaia... havemos de convencê-lo a mostrá-las, um dia destes).

A segunda história é que o César fez uma tecnologia de digitalização e queria inventar umas sandálias personalizáveis que fossem à medida de cada pessoa.

Assim ficamos com a terceira história, que vem a seguir, e que é a história do PROJECTO HUARACHE: AS SANDÁLIAS TRIBAIS MAIS AVANÇADAS DE SEMPRE.

A diferença desta história para as outras é grande: é uma história posta no futuro, a história de um projecto de investigação, que está agora a começar e que será escrito por toda a gente que nele queira participar.

Neste projecto, todos poderemos pensar, dar palpites, opiniões... ou então, se apenas a curiosidade persistir, simplesmente seguir todos os acontecimentos que irão acontecer no laboratório da SuperEgo, em tempo real.

Provavelmente seremos o primeiro projecto português de desenvolvimento aberto a toda a gente. Nele iremos assistir não só a sucessos, mas também a falhanços, dúvidas, impasses, alternativas e experiências.

Sejamos, por isso, todos benvindos ao PROJECTO HUARACHE.

Sandálias Huarache-Como Caminhar Descalço







De origens pré hispânicas as sandálias huarache apresentam-se nas mais variadas formas, desde as mais simples, tradicionalmente feitas apenas com um pedaço de couro e uma tira, até às versões mais elaboradas.


Na sua versão mais simples, praticamente desconhecida pela sociedade ocidental, originária dos nativos Tarahumara ou como se designam a si mesmos rarámuri, que traduzido literalmente significa "os dos pés ligeiros" as huraches permitem aos nativos efectuar as duras provas de corrida com uma pequena bola, designadas por rarajípari.
Estes eventos que podem durar até 2 dias em distancias de até 200 kilómetros são verdadeiras provas de resistência e identidade destes nativos (especialmente se se tiver em conta que vivem em altitudes entre 1.500 e 2.400 metros de altitude).

Os tarahumara são conhecidos pelas sua incrivél resistência fisica e poucas complicações estruturais como dores de costas, mesmo indivíduos que se encontram medicamente mal nutridos, embora existam diferentes factores a ter em conta, alguns cientistas acreditam que parte desta baixa taxa de lesões no sistema musculo-esquelético, se poderá dever ao tipo de calçado, as sandálias huarache.


Trabalhando com calçado e palmilhas à medida a SuperEgo está empenhada em aproveitar ao máximo este saber ancestral, juntando-lhe a ciência e saber modernos, assim neste momento encontramos-nos na fase de desenvolvimento da versão moderna das sandálias huarache, que acreditamos serem ideais para uma melhoria geral da postura e redução das pressões plantares em caminhada.



Fontes:

wikipédia

Sheryl D. Battles "The Running Man"-Human Adaptability, February 18, 2004, Revised: March 24, 2004, University of Alabama